quinta-feira, 20 de junho de 2013

As revindicações populares e o vandalismo no brasil

A Transparência Brasil é uma organização independente e autônoma, fundada em abril de 2000 por um grupo de indivíduos e organizações não governamentais comprometidos com o combate à corrupção. É filiada a Transparência Internacional, que pesquisou cento e oitenta países e concluiu que o Brasil ocupa a 75ª posição entre os países mais corruptos do mundo. No caso, o Brasil é mais corrupto que o Butão, Botsuana e Gana. 

Observe leitor o nível de degradação a que chegamos. Nossos problemas pontuais, entre outros, são: exagerados gastos públicos, empreguismo público, necessidade de um federalismo efetivo, voto distrital, reforma tributária (nossa carga tributária em alguns produtos chega a mais de 40%), reforma no código penal, reforma política e infraestrutura, principalmente boas estradas. É convicção da maioria do povo brasileiro que precisamos mudar e avançar no campo democrático. Nosso problema jurídico e as perguntas que somos obrigados a fazer são: A representatividade política brasileira é confiável? Os governantes e os parlamentares visam o bem–estar da nossa coletividade? Seus comportamentos poderão se constituir em problema para a governabilidade do país no futuro? A resposta é dada pela atuação deles no dia-a-dia de suas atividades. Os nossos governantes e parlamentares ganham subsídios e/ou remunerações extraordinárias, não são confiáveis e não visam o bem da nossa coletividade. Seus comportamentos se constituirão em grave problema para a governabilidade do pais no futuro. Nossa frágil democracia esta correndo sério risco de ruptura. O Governo Federal transformou o Executivo da nação numa modalidade de Governo de barganhas (o Governo cooptou a maioria dos parlamentares da Câmara Federal) no denominado presidencialismo de coalizão, onde a maioria dos partidos aderiu ao Governo. Desvirtuaram as funções do Legislativo, cuja principal função é fazer Leis e Fiscalizar o Poder Executivo. Passaram os Deputados a apresentar Emendas Parlamentares no orçamento da nação e canalizá-las para seus redutos eleitorais, agradando o Governo e alguns do povo, desconhecedores da verdadeira função constitucional do parlamento brasileiro. Esse comportamento aos poucos vai provocando a morte lenta da nossa frágil democracia. Esse comportamento dos governantes e parlamentares é uma doença crônica, que aos poucos vai matando as esperanças do povo, num fatal abismo ente as expectativas da população em relação ao que se espera dos políticos, sejam eles governantes ou parlamentares. Assim nossa frágil democracia aos poucos vai se tornando vulnerável.  Tenho a convicção que corremos sério risco de ruptura quanto à forma de governo. Pelos atuais acontecimentos se conclui que o povo já não está satisfeito com apenas o PÃO e o CIRCO oferecidos pelos sociólogos de plantão no Planalto Central. No caso do Brasil, o PÃO é representado pelos programas sociais (bolsas, cotas, etc.) e o CIRCO é representado principalmente pela mídia televisiva, diga-se de passagem, de baixa qualidade e desagregadora da família brasileira e pelos modernos estádios de futebol. Como se constata na atual Copa das Federações, esses estádios são inacessíveis à maioria do povo. Estamos no século XXI e os exemplos da velha e encardida Roma já não servem para o povo brasileiro dos dias atuais. Lá os governantes e o Senado da República decretavam feriados, distribuíam trigo, promoviam festas monumentais nos estádios, tipo o velho Coliseu, testemunha histórico dos tempos de terror. Promoviam lutas mortais entre gladiadores, homens contra feras, corridas de bigas e simulação de batalhas navais. Nessas arenas corria o sangue de inocentes, a maioria opositora do regime déspota da época. O povo inebriado pelos espetáculos manifestava-se em delírio em tamanha loucura. Mas voltando ao Brasil, nossos antepassados fugiram de outros continentes com o objetivo de aqui construir uma vida digna. Mas o que se observa nos dias de hoje nas principais capitais do país é uma onda de insatisfação e protestos realizados por uma maioria ordeira. No meio deles uma minoria de depredadores agredindo policiais e quebrando tudo o que encontram pela frente, principalmente próprios públicos. Seus líderes não aparecem para dialogar e reivindicar. Não dizem por que estão agindo assim. Também se observa alguns governantes se manifestando na mídia nacional pedindo para a polícia não agir com rigor contra os desordeiros. Devendo tratá-los como cidadãos de bem. A criminalidade no país atualmente é algo assustador. Bandidos roubam e matam cidadãos de bem com a maior naturalidade. A policia, por recomendação do governo, tem que agir com carinho com os bandidos sob pena de ser ela a vilã da história. Aliás, se numa manifestação pública um bandido desses investir contra um policial, o mesmo não deverá reagir, se o fizer sofrerá um inquérito administrativo e/ou penal militar e será responsabilizado criminalmente. Com este governo, certamente o policial será exonerado da corporação. Enquanto isso o bandido continuará solto, pois para ele vigora “OS DIREITOS HUMANOS”. A que ponto a coisa chegou. Ao que parece, algo muito grave esta ocorrendo. Tudo indica que é a preparação para algo muito pior. Quem são essas pessoas? Quais são seus objetivos? O que pretendem eles agindo assim? A nossa democracia ainda é frágil. Muito precisamos fazer para aperfeiçoá-la. Mas não é com violência e com vandalismo que vamos mudar. A nossa democracia foi conquistada com muito sofrimento, não podemos perdê-la por motivação de aventureiros e irresponsáveis.


 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Webcam - Porto Alegre - Zona Sul

Porto Alegre - Google Notícias

Youtube - Canal Estudando Línguas e Temas Diversos

Notícias da Prefeitura de Porto Alegre